GUERRA AO TERROR, GEOPOLÍTICA, REPRESENTAÇÕES E PAISAGENS NO CINEMA NORTE-AMERICANO APÓS 11 DE SETEMBRO DE 2001

Roberto Ribeiro Sousa

Resumo


Este artigo é um esforço no sentido de apontar, por intermédio do filme Guerra ao Terror, uma determinada espécie de narrativa fílmica norte-americana que emergiu após os atentados de 11 de setembro de 2001, momento de inflexão a partir do qual a temática “terrorismo” tornou-se mais frequente nas telas. Este referido tipo de narrativa, de caráter geopolítico, projeta, escorado em elaborações geográficas de paisagens e perfis de estereótipos, representações pretensamente legitimadoras das posições norte-americanas como potência central que, por outro aspecto, acabam por reforçar estigmas em relação àqueles que são vistos como obstáculos a “Pax Americana” no cenário internacional contemporâneo.


Palavras-chave


cinema, geopolítica, representações e paisagens

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.